Arte e Criatividade

“Para tornarem-se verdadeiros educadores, o essencial é poder ver o elemento verdadeiramente estético no trabalho, para trazer uma qualidade artística em nossas tarefas. . . . Se trouxermos esse elemento estético, então começamos a chegar mais perto do que a criança deseja de sua própria natureza.”

(Rudolf Steiner, Uma Arte Moderna da Educação)

Muitas pessoas são levadas à Pedagogia Waldorf porque se sentem atraídas pelo seu foco nas artes, pela estética e beleza das suas aulas e materiais. Outras sentem-se intimidadas por acreditarem que é necessário ser um pintor, escultor, poeta, dramaturgo e músico exímio para poder aplicar toda e qualquer lição. E, ainda mais complicado, existem os que pensam que a Pedagogia Waldorf educa com objetivo de tornar as crianças artistas profissionais.

De fato, há muita arte nesta pedagogia! Contudo, é fundamental observar que, quando Steiner instruiu a primeira turma de professores com a sua metodologia dizendo a eles para “ensinarem artisticamente”, ele não lhes disse para transformarem cada lição em uma aula de artes. É mais como uma “atitude artística”, uma abordagem criativa para cada atividade oferecida para as crianças. Ensinar de forma artística significa ensinar de forma criativa!

Criar transforma o ensino em algo vivo e, desta forma, apela diretamente para os sentimentos das crianças, que se vinculam com tema ensinado a partir da alegria, da tristeza, do humor, do afeto, e não apenas pelo intelecto. Ensinar apenas pelo intelecto, usando e abusando da retórica, como vemos na maioria das escolas de hoje, torna os temas desinteressantes para as crianças e, possivelmente, serão esquecidos em poucos dias.

Mas Steiner não nos falou isoladamente sobre criatividade. Ele ressalta que ensinar artisticamente é buscar também a beleza em tudo o que levamos para as crianças. O belo preenche o que, na Antroposofia, chama-se de corpo etérico, que é como um membro do ser humano responsável pela vitalidade. Para o corpo etérico, a beleza é nutritiva, tanto quanto um alimento puro é para o corpo físico. E as coisas belas certamente estão presentes nas expressões artísticas, mas também encontram sua expressão essencial nos fenômenos da natureza. Um colorido pôr-do-sol, uma floresta verde brilhante, o canto melodioso dos pássaros, todos são elementos que alimentam a vitalidade das crianças e, para nós, servem de inspiração máxima para oferecer conteúdos vivos e que emocionam.

Então, procure por formas criativas e belas de trazer à vida os conceitos. As artes certamente serão suas aliadas no seu processo de criação das aulas afinal, elas são inegáveis expressões do sentimento humano. No entanto, sempre se pergunte antes. Colocar um desenho em uma lição vai de fato ajudar a concretizar o aprendizado pelo sentimento da criança ou você apenas acha que cada lição precisa ter um desenho ou um elemento artístico? Uma música poderia ajudar a criança a apreender melhor um tema? Criar uma história ou uma pequena peça de teatro é a melhor maneira de explorar aquele tópico? A premissa para uma aula não é ter ou não ter um elemento artístico mas, antes de tudo, ter sentido e, assim, oferecer uma abordagem criativa.

E existem inúmeras formas de ser criativo e ensinar a cabeça, o coração e as mãos. Definitivamente, inclua as artes na sua programação semanal e, se possível, inclua algum elemento artístico na maioria dos seus dias de estudo, mas não tente transformar toda e qualquer lição em uma aula de artes. Você verá que o próprio exercício de deixar fluir sua criatividade com objetivo de tocar os sentimentos da sua criança e fazê-la vincular-se com um tema vão naturalmente transformá-la numa artista! Quando você menos esperar, estará criando seus próprios poemas, soltando a voz junto com seu pequeno e fazendo das aulas momentos memoráveis para vocês dois!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: